Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/infoteca/handle/doc/28643
Research center of Embrapa/Collection: Embrapa Instrumentação - Séries anteriores (INFOTECA-E)
Date Issued: 1996
Type of Material: Séries anteriores (INFOTECA-E)
Authors: BERTUCCI NETO, V.
COURI, S.
Title: Instrumentação para automação de processo de fermentação semi-sólida.
Publisher: São Carlos, SP: Embrapa Instrumentação Agropecuária, 1996.
Pages: 4 p.
Series/Report no.: (Embrapa Instrumentação Agropecuária. Pesquisa em Andamento, 7).
Language: pt_BR
Keywords: ENZIMAS INDUSTRIAIS
FERMENTAÇÃO SEMI-SÓLIDA.
Description: O mercado mundial de enzimas industriais foi estimado em 625 milhões de dólares, em 1990. Cerca de 62 % das enzimas produzidas são usadas pela indústria de alimentos, 33% em detergentes e 5% nas indústrias têxtil e de couro. Das enzimas produzidas, 80% são hidrolíticas, utilizadas para a despolimerização I de produtos naturais. Destas, 60% são proteases, 30% carboidrases, 3% lipases e o restante enzimas especializadas tais como as pectinases. Na indústria de alimentos o maior uso está no processamento do amido seguido pela produção de queijos, processamento de sucos de frutas e vegetais, clarificação de sucos e vinhos, panificação e cervejaria. Muitos produtos alimentícios fermentados no Oriente são obtidos em Isubstrato sólido como o tempeh, nato, miso, que freqüentemente utilizam soja e I cereais como substratos. Foram esses processos de produção de alimentos ! fermentados no Oriente que deram origem às técnicas modernas de Fermentação Sem i-Sólida (FMSS). Posteriormente, a FMSS passou a ser utilizada para a obtenção de vários produtos, desde que se dispusesse do microrganismo adequado. Para a produção de enzimas são utilizados basicamente dois tipos de processo: a fermentação sem i-sólida e a fermentação líquida submersa. O processo em meio semi-sólido apresenta as seguintes vantagens: utiliza substratos simples, necessitando em muitos casos somente da adição de água; permite reciclar resíduos sólidos; ocupa pouco espaço operacíonal; menor custo .de operação (energia, água, mão-de-obra e manutenção); menor custo do j equipamento (os custos de reatores para fermentações submersas são altos); Ireduz o índice de contaminação devido ao baixo teor de umidade; produto final mais concentrado (o que facilita sua recuperação) e menor produção de resíduos I indesejáveis. Apresenta, porém, limitações: exige inoculação maciça e perfeita homogeneização do meio; limitação geométrica do crescimento do micélio no I material, principalmente nos poros intersticiais; dificuldade de colher amostras representativas para o acompanhamento do processo, além de reduzida oferta de j publicações técnicas sobre o assunto. INos anos 70, quando houve uma retomada nas pesquisas em FMSS, já I havia um consenso entre autores que as dificuldades encontradas na fermentação!
Thesagro: Automação.
Data Documento: 2004-10-22
Appears in Collections:Séries Anteriores (CNPDIA)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
PA0796.pdf143,85 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace