Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/infoteca/handle/doc/1016185
Unidade da Embrapa/Coleção:: Embrapa Rondônia - Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento (INFOTECA-E)
Data do documento: 25-Mai-2015
Tipo do Material: Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento (INFOTECA-E)
Autoria: SALMAN, A. K.
SANTOS, M. G. R. dos
SANTOS, L. O.
TOWNSEND, C. R.
Informaçães Adicionais: ANA KARINA DIAS SALMAN, CPAF-RO; Márcio Gregório Rojas dos Santos, Mestrando em Zootecnia, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul; Leilane Oliveira Santos, Doutoranda em Zootecnia, UFLA; CLAUDIO RAMALHO TOWNSEND, CPAF-RO.
Título: Avaliação nutricional de subprodutos do processamento agroindustrial de cupuaçu, pupunha e castanha-do-brasil em Porto Velho, Rondônia.
Edição: 2014
Fonte/Imprenta: Porto Velho: Embrapa Rondônia, 2014.
Páginas: 15p.
Série: (Embrapa Rondônia. Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento, 72).
Idioma: pt_BR
Palavras-chave: Nutrição animal
Alimentos alternativos
Processamento agroindustrial
Cupuaçu
Pupunha
Castanha-do-brasil
Castanha do brasil
Conteúdo: Diversos subprodutos da agroindústria podem ser utilizados na alimentação de ruminantes, contribuindo de forma significativa na redução dos custos com a alimentação do rebanho. A composição química e bromatológica, bem como os parâmetros de degradação ruminal da matéria seca (MS) e da proteína bruta (PB) dos subprodutos das extrações do óleo da castanhado-brasil (Bertholletia excelsa, H.B.K.), da manteiga das amêndoas do cupuaçu (Theobroma grandiflorum) e da semente do fruto da pupunha (Bactris gasipaes, Kunth) foram determinados nesse estudo. Para tanto, foram realizadas análises laboratoriais e um ensaio de degradabilidade in situ com três novilhas canuladas no rúmen para incubação de amostras dos subprodutos por 2, 4, 6, 8, 12, 24 e 48 horas. A torta de cupuaçu apresentou 93,52% de MS; 12,59% de PB; 12,33% de extrato etéreo (EE); 4,36% de cinzas (CZ), coeficientes de degradabilidade potencial (DP) da MS de 55,71% e da PB de 93,22; a farinha de pupunha apresentou 94,35% de MS; 5,84% de PB, 21,95% de EE; 1,43% de CZ, DP da MS de 88,84% e da PB de 99,57; e a torta de castanha apresentou 95,32% de MS; 34,22% de PB; 43,59% de EE; 3,37% de CZ, DP da MS de 89,27% e da PB de 97,76%. De acordo com os teores de PB dos subprodutos avaliados, a torta de castanha foi classificada como concentrado proteico e os outros dois como concentrados energéticos. Com exceção da torta de cupuaçu, os subprodutos apresentaram matéria seca e proteína com elevada degradabilidade ruminal.
Ano de Publicação: 2014
Aparece nas coleções:Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento (CPAF-RO)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
BPD72alimentacaoderuminantes.pdf262,07 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace