Artigo de divulgação na mídia (CNPAE) : [41] Página principal da coleção Visualizar estatísticas

Navegar
Assinar esta coleção para receber notificações por e-mail de cada item inserido RSS Feed RSS Feed RSS Feed
Coleção's Items (Ordenado por Título na Ascendente ordem): 21 para 40 de 41
Data do documentoTítuloAutor(es)
2014Microalgas: a 3ª geração de biocombustíveis no Brasil.BRASIL, B. dos S. A. F.
2012Microrganismos e agroenergia.ALMEIDA, J. R. M. de
2015Opinião: Matérias-primas para a produção de bioquerosene: A participação dos biocombustíveis na matriz energética aumentará. O bioquerosene só será realidade no país se forem realizados investimentos.LAVIOLA, B. G.; CAPDEVILLE, G. de
2013Pesquisa para turbinar biomassa florestal.DAMASO, M. C. T.; HELM, C. V.; SILVA, P. R.; CONTE, R. A.; GAMBETTA, R.
2013Pinhão-manso uso como fertilizante e melhoramento genético para aproveitamento da torta.CHIES, V.
2017Por que sequenciamos genomas na Embrapa Agroenergia?FORMIGHIERI, E. F.; PORTO, B. N.
2013Potencial da torta de mamona no mercado.NOBREGA, A. R. da
2013O potencial do pinhão-Manso e da mamona na produção do biodiesel.GIULIANI, T. Q.
2016A química verde como uma oportunidade para a biomassa brasileira.VAZ JUNIOR, S.
2016A química verde como uma oportunidade para a biomassa brasileira.VAZ JUNIOR, S.
2016A Química Verde como uma oportunidade para a biomassa brasileira.VAZ JUNIOR, S.
2015Resíduos orgânicos: uma biomassa de oportunidades.SOUZA JUNIOR, M. T.
2013Torta de mamona alimento proteico e fertilizante natural.SANTOS, E.
2013Torta de mamona destoxificadaMORAIS, J. P. S.; MEDEIROS, E. P. de; MILANI, M.; SEVERINO, L. S.; BELTRAO, N. E. de M.
2013Torta de pinhão-manso testes comprovam eficiência nutricional.CHIES, V.
2013Tortas: Fracionar as culturas para agregar valor.COLLARES, D. G.
2013Tratamento microbiano da torta de pinhão-manso.COLLARES, D. G.
2013UFV Deposita patente de destoxificação fúngica da torta de pinhão-manso.CHIES, V.
2017Um leque de oportunidades.DAMASO, M. C. T.; SCHULTZ, E. L.
2012O uso do etanol como combustível no Brasil vai completar um século!DIAS, J. M. C. de S.