Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/infoteca/handle/doc/353401
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorOBA, E. T.pt_BR
dc.contributor.authorMARIANO, W. dos S.pt_BR
dc.contributor.authorSANTOS, L. R. B. dospt_BR
dc.date.accessioned2020-02-20T19:43:11Z-
dc.date.available2020-02-20T19:43:11Z-
dc.date.created2009-06-15
dc.date.issued2009
dc.identifier.citationIn: TAVARES-DIAS, M. (Org.). Manejo e sanidade de peixes em cultivo. Macapá: Embrapa Amapá, 2009. cap. 8, p. 226-247.pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/infoteca/handle/doc/353401-
dc.descriptionAlimentação balanceada e fatores ambientais, dentro de níveis ideais, são alguns requisitos básicos necessários para se conseguir a lucratividade desejada dentro da piscicultura. Entretanto, o ambiente em que os peixes são mantidos durante o cultivo pode proporcionar uma grande variedade de agentes estressores, tanto de natureza química, quanto de natureza física. Entre os diversos agentes estressores presentes num sistema de cultivo intensivo a qualidade da água (concentração de O2 dissolvido, de amônia e de nitrito, presença de poluentes orgânicos e inorgânicos), a manipulação (captura ou transporte), a alimentação e as interações biológicas (alta densidade populacional, confinamento) são os mais importantes. De forma geral, a resposta ao estresse apresenta três níveis: as respostas primárias pela ativação dos centros cerebrais resultam na liberação de catecolaminas e de corticosteroides; as respostas secundárias incluem aumentos do débito cardíaco, da capacidade de transporte de O2, da mobilização de substratos energéticos e dos distúrbios no balanço hidromineral; e as respostas terciárias se estendem para o nível de organismo e populacional, apresentando efeitos como inibição do crescimento, da reprodução e da resposta imune, além da redução da capacidade de tolerância a agentes estressores adicionais. Assim, o entendimento básico da fisiologia do estresse e das alterações ambientais durante o cultivo, possibilita a identificação das condições adversas e o desenvolvimento de métodos que mitiguem os seus efeitos na saúde dos peixes cultivados.pt_BR
dc.languagept_BRpt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.rightsopenAccesspt_BR
dc.titleEstresse em peixes cultivados: agravantes e atenuantes para o manejo rentável.pt_BR
dc.typeParte de livropt_BR
dc.date.updated2020-02-20T19:43:11Z
dc.subject.thesagroPeixept_BR
dc.subject.thesagroCadeia Produtivapt_BR
riaa.ainfo.id353401pt_BR
riaa.ainfo.lastupdate2020-02-20
dc.contributor.institutionELIANE TIE OBA YOSHIOKA, CPAF-AP; Wagner dos Santos Mariano, Faculdade Anhanguera; Laila Romangueira Bichara dos Santos, Universidade de São Paulo.pt_BR
Appears in Collections:Capítulo em livro técnico (CPAF-AP)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
CPAFAP2009Estressepeixescultivados.pdf463,63 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace