Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/infoteca/handle/doc/1103574
Unidade da Embrapa/Coleção:: Embrapa Semiárido - Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento (INFOTECA-E)
Data do documento: 2018
Tipo do Material: Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento (INFOTECA-E)
Autoria: SANTOS, C. A. F.
LIMA NETO, F. P.
Informaçães Adicionais: CARLOS ANTONIO FERNANDES SANTOS, CPATSA; FRANCISCO PINHEIRO LIMA NETO, CPATSA.
Título: Similaridade genética entre acessos de mangueira com base em marcadores AFLP e microssatélites.
Fonte/Imprenta: Petrolina: Embrapa Semiárido, 2018.
Páginas: 23 p.
Série: (Embrapa Semiárido. Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento, 135).
Idioma: pt_BR
Palavras-chave: Relações entre acessos
Acessos brasileiros
Melhoramento genético
Conteúdo: Estimativas de similaridade genética entre 112 acessos de mangueira (Mangifera indica L.), de diferentes origens geográfi cas, estabelecidos no Banco de Germoplasma da Embrapa Semiárido foram obtidas com base em marcadores AFLP e microssatélites de forma a auxiliar atividades de melhoramento e manejo de recursos genéticos dessa espécie. O DNA dos acessos foi extraído de acordo com o protocolo CTAB 2x. Dendrogramas UPGMA foram gerados usando-se o coefi ciente de similaridade de Jaccard, com 50 alelos de 12 microssatélites e 157 amplicons AFLP de 13 combinações de primers EcoRI/ MseI. As correlações cofenéticas foram de 0,81, 0,80 e 0,94 para os dendrogramas de AFLP, microssatélites e AFLP + microssatélites, respectivamente. Quatro possíveis grupos foram observados no dendrograma de AFLP: grupo 1 com Amrapali, Malika, híbridos da Embrapa Cerrados e alguns acessos americanos; grupo 2 com acessos americanos e alguns acessos da África do Sul e do Brasil; grupo 3 com acessos brasileiros e alguns acessos da Austrália, Índia e Estados Unidos e grupo 4 com acessos de Espada, Rosa e outros de diferentes origens. Três grupos foram obtidos no dendrograma de microssatélite, ponto de corte de 0,42: grupo 1 com acessos predominantemente estrangeiros; grupo 2 com acessos brasileiros e grupo 3 com o acesso Dashehari. O dendograma de AFLP + microssatélites apresentou dois grupos principais, ponto de corte de 0,48, sem relação de origem geográfica. Os acessos analisados apresentaram coefi ciente de similaridade variando de 30% a 35% nos três endrogramas, sugerindo alta variabilidade na coleção estudada. Baseado na forma de agrupamentos dos dendrogramas, a análise com microssatélites isolada apresentou melhor resolução biológica, pois foi possível separar os acessos brasileiros dos acessos estrangeiros, de introdução recente.
Thesagro: Manga
Melhoramento Vegetal
Método de Melhoramento
Mangifera Indica
NAL Thesaurus: Mangoes
Genetic similarity
Ano de Publicação: 2019-01-10
ISSN: 1808-9968
Aparece nas coleções:Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento (CPATSA)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
BPD135.pdf2,66 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace