Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/infoteca/handle/doc/1088340
Unidade da Embrapa/Coleção:: Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia - Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento (INFOTECA-E)
Data do documento: 28-Fev-2018
Tipo do Material: Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento (INFOTECA-E)
Autoria: MATTOS, V. da S.
SOARE, R. C. S.
GOMES, A. C. M. M.
ARIEIRA, C. R. D.
GOMES, C. B.
CARNEIRO, R. M. D. G.
Informaçães Adicionais: Vanessa da Silva Mattos, Bolsista, Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia; Mayra Renata Cruz Soares, Universidade Estadual de Maringá; ANA CRISTINA MENESES M GOMES, Cenargen; Claudia R. Dias Arieira, Universidade Estadual de Maringá; CESAR BAUER GOMES, CPACT; REGINA MARIA DECHECHI G CARNEIRO, Cenargen.
Título: Caracterização de um Complexo de Espécies do Nematoide das Galhas Parasitando Arroz Irrigado na Região Sul do Brasil.
Fonte/Imprenta: Brasília, DF: Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, 2017.
Páginas: 30
Série: (Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento / Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, 331).
Idioma: pt_BR
Palavras-chave: Fenótipo de esterases.
Conteúdo: O arroz é um dos cereais mais produzidos no mundo, e o Brasil destaca-se no mercado orizícola como nono maior produtor e oitavo exportador mundial. O Sul do Brasil detém a maior área cultivada com arroz irrigado do país. Entretanto, a produção pode ser limitada por vários agentes fitopatogênicos, dentre eles o nematoide das galhas (Meloidogyne spp.). Dessa forma, o objetivo da pesquisa foi caracterizar diferentes espécies do nematoide das galhas, nas regiões orizícolas dos estados do Rio Grande do Sul (RS), Santa Catarina (SC) e Paraná (PR). As populações obtidas foram identificadas, bioquimicamente, através das isoenzimas esterase (Est) e malato-desidrogenase (Mdh). Detectaram-se seis fenótipos esterásticos (Est) de Meloidogyne spp. em 51 populações do RS, 31 de SC e 23 do PR, sendo M. graminicola com o fenótipo Est VS1 (Rm: 0,70), M. javanica, Est J3 (Rm: 1,0, 1,20, 1,35), M. oryzae com fenótipo Est R1 (Rm:1,02), Meloidogyne sp.2, Est R2 (Rm: 0,85, 0,91), Meloidogyne sp.3, Est R3 (Rm: 0,74, 0,80, 0,82), e um último fenótipo relativo a Meloidogyne sp.0 ( Est R0, sem banda de esterase). No estado do RS predominou a espécie M. graminicola, seguida por Meloidogyne sp.2 e Meloidogyne sp.3; em SC M. graminicola, seguida por Meloidogyne sp.0, M. oryzae, M. javanica, Meloidogyne sp.2 e Meloidogyne sp.3. No estado do Paraná Meloidogyne sp.3 foi a espécie mais distribuída, seguida por M. graminicola e por Meloidogyne sp.2, e uma única população de Meloidogyne sp.0. Marcadores AFLP e RAPD confirmaram a separação em clusters de espécies de acordo com os perfis das esterases. Várias populações apareceram puras ou em misturas de mais de uma espécie. Dessa maneira, fica registrado um complexo de espécies de Meloidogyne ocorrendo na cultura do arroz na região sul do Brasil, havendo necessidade de pesquisas avançadas em taxonomia clássica e molecular para identificação dessas espécies.
Thesagro: Meloidogyne spp.
Ano de Publicação: 2017
Aparece nas coleções:Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento (CENARGEN)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
BPD331201728.pdf3,61 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace