Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/infoteca/handle/doc/1085429
Research center of Embrapa/Collection: Embrapa Territorial - Comunicado Técnico (INFOTECA-E)
Date Issued: 2006
Type of Material: Comunicado Técnico (INFOTECA-E)
Authors: MIRANDA, E. E. de
MORAES, A. V. de C. de
OSHIRO, O. T.
Additional Information: EVARISTO EDUARDO DE MIRANDA, CNPM; ADRIANA VIEIRA DE CAMARGO DE MORAES, CNPM; OSVALDO TADATOMO OSHIRO, CNPM.
Title: Queimadas em áreas protegidas da Amazônia em 2005.
Publisher: Campinas: Embrapa Monitoramento por Satélite, 2006.
Pages: 13 p.
Series/Report no.: (Embrapa Monitoramento por Satélite. Comunicado Técnico, 19 )
Language: pt_BR
Keywords: Monitoramento orbital
Unidades de conservação
Amazônia legal
Description: Este trabalho apresenta os resultados numéricos obtidos no monitoramento orbital das queimadas nas áreas protegidas da Amazônia Brasileira, considerando Unidades de Conservação e Terras Indígenas. São dados do sensor NOAA-AVHRR de janeiro a dezembro de 2005. Em termos absolutos, a ocorrência de queimadas em Terras Indígenas (6.694) é muito superior ao constatado nas Unidades de Conservação (1.592). O total das queimadas observadas em áreas protegidas (8.286) representa 5,13% do total detectado na Amazônia Legal. Em 2005, o estado do Mato Grosso apresentou o maior número absoluto de queimadas em áreas protegidas (2.101). Isso representa 4,25% do total desse estado (49.359). Para a análise espacial intra-regional, os dados foram ponderados pelos valores de superfície de cada área protegida, obtendo-se uma densidade de pontos de queimadas por 1000 km2, equivalente a um quadrado de 33 km por 33 km. O Estado do Tocantins apresentou a maior densidade de queimadas por mil quilômetros quadrados nas áreas protegidas da Amazônia em 2005 (52,78) . O índice observado nas Unidades de Conservação (54,85) é paradoxalmente superior aos valores das áreas não protegidas, destinadas em parte à agricultura (47,41), e é ligeiramente maior do que o observado nos territórios indígenas (51,31). Foi calculada a correlação estatística entre os valores absolutos de desmatamento em cada estado da Amazônia, em 2004 e 2005, e os valores absolutos de pontos de queimadas detectados nas áreas protegidas. Para o período de 2005, a correlação entre a taxa de desmatamento e a ocorrência de pontos de queimadas em áreas protegidas foi positiva, apresentando um R2 de 0,92.
Data Created: 2018-01-15
ISSN: 1415-2118
Appears in Collections:Comunicado Técnico (CNPM)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
4907.pdf414,58 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace