Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/infoteca/handle/doc/1066871
Research center of Embrapa/Collection: Embrapa Gado de Corte - Capítulo em livro técnico (INFOTECA-E)
Date Issued: 2016
Type of Material: Capítulo em livro técnico (INFOTECA-E)
Authors: MENEZES, G. R. de O.
OKAMURA, V.
TORRES JUNIOR, R. A. de A.
SANTANA JUNIOR, M. L.
GONDO, A.
SILVA, L. O. C. da
EGITO, A. A. do
ROSA, A. do N.
NOBRE, P. R. C.
Additional Information: GILBERTO ROMEIRO DE OLIVEIRA MENEZE, CNPGC; VINICIUS OKAMURA, EMBRAPA/GENEPLUS; ROBERTO AUGUSTO DE A TORRES JUNIOR, CNPGC; MARIO L. SANTANA JUNIOR, UFMT/Campus de Rondonópolis; ANDREA GONDO, CNPGC; LUIZ OTAVIO CAMPOS DA SILVA, CNPGC; ANDREA ALVES DO EGITO, CNPGC; ANTONIO DO NASCIMENTO FERREIRA ROSA, CNPGC; PAULO R. C. NOBRE, EMBRAPA/GENEPLUS.
Title: Variabilidade genética da raça Senepol no Brasil.
Publisher: In: MENEZES, G. R. de O.; NOBRE, P. R. C.; TORRES JUNIOR, R. A. de A.; GONDO, A.; SILVA, L. O. C. da; SILVA, L. N. (Ed.). Sumários Senepol 2016: sumário de touros Senepol Geneplus-Embrapa. Brasília, DF: Embrapa, 2016. 76 p. il. collor.
Pages: p. 25-26
Language: pt_BR
Description: A população da raça Senepol tem crescido consideravelmente desde a chegada dos primeiros animais no Brasil em 2000. Segundo a Associação Brasileira de Criadores de Bovinos Senepol (ABCB Senepol), no período de 2011 a 2015, o número de associados cresceu 268% (de 94 para 346) e o número de animais PO, com registro genealógico definitivo, 152% (de 6.745 para 17.005). Em 2013, de acordo com Associação Brasileira de Inseminação Artificial (ASBIA), considerando apenas raças taurinas de corte com sêmen comercializado no Brasil, a raça Senepol foi superada apenas pela raça Angus. Já em 2014, levando-se em consideração raças de corte zebuínas, taurinas e compostas, o Senepol ficou em terceiro lugar com 240.541 doses produzidas, sendo superado somente pelo Nelore e Angus. O crescimento do rebanho brasileiro de Senepol tem se baseado, principalmente, no uso das biotécnicas reprodutivas transferência de embriões (TE) e fertilização in vitro (FIV). Estas biotécnicas de elevado impacto vêm sendo aplicadas, intensivamente, a um pequeno número de touros e matrizes de destaque na raça. Desta forma, um número relativamente pequeno de indivíduos acaba deixando um grande número de filhos na população. Esta realidade, aliada ao fato do rebanho brasileiro ser originário de uns poucos criatórios da ilha caribenha de Saint Croix (Ilhas Virgens Americanas) e dos Estados Unidos da América, pode contribuir para a perda de variabilidade genética, a qual, a princípio, espera-se que já seja restrita dada à história de sua formação.
Thesagro: Bovino
Data Documento: 2017-03-13
Appears in Collections:Capítulo em livro técnico (CNPGC)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Variabilidadegenetica.pdf3,78 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace