Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/infoteca/handle/doc/917339
Unidade da Embrapa/Coleção:: Embrapa Agroindústria Tropical - Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento (INFOTECA-E)
Data do documento: 2-Mar-2012
Tipo do Material: Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento (INFOTECA-E)
Autoria: CORREIA, D.
NASCIMENTO, E. H. S. do
ARAÚJO, J. D. M.
OLIVEIRA, A. E. R.
Informaçães Adicionais: DIVA CORREIA, CNPAT; Evaldo Heber Silva do Nascimento; José Dionis Matos Araújo; Antônio Edson Rocha Oliveira, UFC.
Título: Propagação de mandacaru sem espinhos.
Edição: 2011
Fonte/Imprenta: Fortaleza: Embrapa Agroindústria Tropical, 2011.
Páginas: 18 p.
Série: (Embrapa Agroindústria Tropical. Boletim de pesquisa e desenvolvimento. , 55).
Idioma: pt_BR
Palavras-chave: Cereus sp
Cactos
Manejo
Propagação vegetativa
Conteúdo: O mandacaru sem espinho é uma cactácea muito procurada para uso ornamental e forrageiro. O presente trabalho objetivou avaliar a propagação de acessos de mandacaru sem espinhos cultivados na Coleção de Cactáceas da Embrapa Agroindústria Tropical, em Fortaleza, Ceará. Foram utilizadas 25 plantas do acesso 59, 4 plantas do acesso 116 e 4 plantas do acesso 167. Estacas de caule com aproximadamente 30 cm de comprimento foram mantidas em vasos (5 L) contendo substrato composto por areia, vermicomposto e solo hidromórfico (5:3:2 v/v), irrigadas quando necessário, adubadas com solução nutritiva e solução de ureia a cada 30 dias. As plantas permaneceram em telado com 50% de sombreamento por 18 meses. Durante os últimos 5 meses, foram avaliadas a formação de brotos por planta e a porcentagem de sobrevivência dos brotos com no mínimo três meses de idade após o plantio em vasos. Os brotos formados foram seccionados das plantas com tamanho mínimo de 10 cm de comprimento e plantados em vasos (1 L) contendo o substrato citado anteriormente. Aos cinco meses após o início das avaliações, os rendimentos médios de brotos foram de 3,92; 2,75 e 2,00 para o acesso 59, 116 e 167, respectivamente. Todos os brotos sobreviveram após o plantio em vasos.
Ano de Publicação: 2011
ISSN: 1679-6543
Aparece nas coleções:Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento (CNPAT)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
BPD11013.pdf1,08 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace