Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/infoteca/handle/doc/1014596
Unidade da Embrapa/Coleção:: Embrapa Territorial - Prosa Rural (INFOTECA-E)
Data do documento: 2011
Tipo do Material: Prosa Rural (INFOTECA-E)
Título: OS SISTEMAS agroflorestais e as mudanças climáticas: programa 40.
Fonte/Imprenta: In: PROGRAMA Prosa Rural: Centro-Oeste/Sudeste: novembro de 2011. Brasília, DF: Embrapa Informação Tecnológica, 2011.
Idioma: pt_BR
Notas: Programa de rádio.
Palavras-chave: Sistema agroflorestal.
Conteúdo: As mudanças climáticas e suas consequências para o planeta se tornaram importantes temas na atualidade. Na agricultura não é diferente. Uma pesquisa desenvolvida com a participação da Embrapa Monitoramento por Satélite (Campinas, SP) procurou levantar algumas contribuições que o setor pode dar para diminuir o impacto desse fenômeno. A pesquisa estudou os Sistemas Agroflorestais (SAF), uma forma de uso da terra na qual se combinam diferentes espécies de árvores frutíferas ou madeireiras com cultivos agrícolas e animais. Os SAFs podem ser implantados em qualquer região do país, considerando as espécies adaptadas para cada situação. Entre os benefícios já conhecidos dos SAFs estão o uso eficiente dos recursos naturais, a diminuição da demanda por fertilizantes e a redução da perda de nutrientes do solo. Para falar sobre os benefícios da implantação de sistemas agroflorestais na propriedade e sua relação com as mudanças climáticas, o Prosa Rural desta semana convidou o pesquisador da Embrapa Monitoramento por Satélite, Edson Luís Bolfe. Bolfe participou da pesquisa que estudou o caso de produtores rurais do município de Tomé-Acu, PA, estimando a contribuição dos Sistemas Agroflorestais (SAF) implementados na região para o sequestro de CO2 e a redução do efeito estufa. Para a coleta dos dados, foram utilizadas imagens de satélite, inventários agroflorestais e entrevistas com os proprietários dos lotes, tomando-se informações sobre o histórico do uso da terra e os arranjos produtivos. A partir do levantamento, estimou-se a biomassa e o estoque de carbono em toneladas/ha desses sistemas de produção, revelando uma importante contribuição dos SAFs para o sequestro de CO2 e a redução do efeito estufa. A região de estudo faz parte do Bioma Amazônia e tem forte influência da imigração japonesa. No início, os imigrantes dedicaram-se principalmente à cultura da pimenta-do-reino, fomentando o desenvolvimento regional. Com o declínio do ciclo da cultura, a partir de 1970, causado principalmente por questões fitossanitárias, os produtores rurais buscaram novas alternativas de produção. Uma saída foi a diversificação das atividades, destacando-se a implantação de Sistemas Agroflorestais (SAF). Atualmente, os SAFs possuem grande variedade de espécies frutíferas e madeireiras na região, destacando-se o cacau, cupuaçu, açaí, acerola, graviola, maracujá, dendê, andiroba, bacuri, castanha-do-pará, ipê, mogno, sapucaia, plantas cítricas, pimenta-do-reino, cedro, freijó e páprica. Na região, encontram-se áreas com inúmeros estágios de desenvolvimento vegetativo, variando entre 1 e 33 anos de implantação.
Thesagro: Mudança Climática.
Ano de Publicação: 2015-04-28
Aparece nas coleções:Prosa Rural (CNPM)

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
prosaruralsistemasagroflorestaisemudancasclimaticas2011.mp38,97 MBUnknownVisualizar/Abrir

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace