DSpace

Infoteca-e » Embrapa Milho e Sorgo (CNPMS) » Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento (CNPMS) »

Por favor, utilize esse identificador para citar ou referenciar esse registro:
http://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/handle/doc/942408

FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut

Formato RegistroConteúdo
Unidade da Embrapa/Coleção: Embrapa Milho e Sorgo - Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento (INFOTECA-E)
Identificador: 24982
Data de Envio: 13-Dez-2012
Tipo do Material: Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento (INFOTECA-E)
Autoria: MAGALHAES, P. C.
SOUZA, T. C. de
ALBUQUERQUE, P. E. P. de
Informações Adicionais: PAULO CESAR MAGALHAES, CNPMS; THIAGO CORREA DE SOUZA, BOLSISTA; PAULO EMILIO PEREIRA DE ALBUQUERQUE, CNPMS.
Título: Efeitos do estresse hídrico na produção de grãos e na fisiologia da planta de milho.
Edição: 2012
Fonte/Imprenta: Sete Lagoas: Embrapa Milho e Sorgo, 2012.
Páginas: 37 p.
Série: (Embrapa Milho e Sorgo. Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento, 51).
Idioma: pt_BR
Palavras-chaves: Tolerância a seca
Antomia foliar
Anatomia radicular
Thesagro: Zea mays
Resistência a seca
Conteúdo: No norte do estado de Minas Gerais, a falta de chuva limita a produção vegetal no campo, sendo essa possível apenas com irrigação. Práticas agronômicas e fisiológicas têm sido utilizadas frequentemente para tentar superar os efeitos causados pela seca e consequentemente aumentar a produção de grãos. Dentro deste contexto, o objetivo deste trabalho foi caracterizar as modificações morfofisiológicas e morfoanatômicas e avaliar os atributos de produção de grãos em dois híbridos de milho contrastantes à seca em condições de campo. O experimento foi conduzido por dois anos e a deficiência hídrica foi imposta suspendendo a irrigação por 22 dias no pré-florescimento. No final do estresse foi avaliada a anatomia foliar e radicular, características morfofisiológicas (potencial hídrico, teor de clorofila, porcentagem de folhas secas, área foliar, condutância estomática, fluorescência da clorofila e intervalo entre o florescimento masculino e feminino). Para melhor interpretação da tolerância dos híbridos nas características avaliadas, um índice foi utilizado (valor relativo de tolerância, RVT). O híbrido DKB 390 (tolerante) superou o BRS 1030 (sensível) na produção de grãos. Além disso, ele apresentou menor porcentagem de folhas secas, maior sincronismo das inflorescências, maior condutância estomática e maior relação Fv/Fm. Na raiz, o DKB 390 resultou maior quantidade de aerênquima no córtex, um aumento da espessura da exoderme, metaxilemas numerosos e com menor diâmetro; na folha, apresentou maior número de estômatos e menor distância entre os feixes vasculares do limbo. Conclui-se que ocorreram significativas modificações morfofisiológicas e morfoanatômicas relacionadas à tolerância à seca no DKB 390 que resultaram em maior produtividade no campo.
Ano de Publicação: 2012
Aparece nas Coleções:Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento (CNPMS)
Arquivo Descrição TamanhoFormatoVisualizar
bol51.pdf8,29 MBAdobe PDFThumbnail
Download

Formato Dublin Core

Estatísticas