DSpace

Infoteca-e » Embrapa Meio Ambiente (CNPMA) » Circular Técnica (CNPMA) »

Por favor, utilize esse identificador para citar ou referenciar esse registro:
http://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/handle/doc/908169

FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut

Formato RegistroConteúdo
Unidade da Embrapa/Coleção: Embrapa Meio Ambiente - Circular Técnica (INFOTECA-E)
Identificador: 10590
Data de Envio: 1-Dez-2011
Tipo do Material: Circular Técnica (INFOTECA-E)
Autoria: SOUZA, M. D. de
LIGO, M. A. V.
SKORUPA, L. A.
PIRES, A. M. M.
FILIZOLA, H. F.
Informações Adicionais: MANOEL DORNELAS DE SOUZA, CNPMA; MARCOS ANTONIO VIEIRA LIGO, CNPMA; LADISLAU ARAUJO SKORUPA, CNPMA; ADRIANA MARLENE MORENO PIRES, CNPMA; HELOISA FERREIRA FILIZOLA, CNPMA.
Título: Atributos físicos e químicos de área degradada tratada com lodo de esgoto .
Edição: 2011
Fonte/Imprenta: Jaguariúna: Embrapa Meio Ambiente, 2011.
Páginas: 6 p.
Série: (Embrapa Meio Ambiente. Circular Técnica, 21).
ISSN: 1516-4683
Idioma: pt_BR
Palavras-chaves: Lodo de esgoto
Área degradada
Thesagro: Solo
Adubo de esgoto
Recuperação do solo
Impacto ambiental
Nitrato
Poluição da água
NAL Thesaurus: Sewage sludge
Land restoration
Environmental impact
Conteúdo: Resumo: O lodo pode fornecer às plantas, em quantidades satisfatórias, com exceção do potássio, todos os nutrientes essenciais para as culturas. A composição química do lodo é de suma importância na recomendação da quantidade a ser aplicada no solo. As recomendações são normalmente baseadas no teor de nitrogênio levando-se em consideração as concentrações de metais pesados presentes na massa de lodo, além da presença de patógenos. Assim, o conhecimento da taxa de mineralização do N orgânico é um dos principais fatores que determinam a quantidade de lodo a ser aplicada no solo. Apesar das vantagens do uso de lodo de esgoto para recuperar áreas degradadas, como apontado pela avaliação de outras variáveis neste estudo, deve ser salientado o inconveniente deste ser uma fonte altamente geradora de nitrato e, portanto, uma fonte de contaminação de águas superficiais e subsuperficiais. A extensão desses riscos deve, contudo, ser melhor investigada ao longo do tempo.
Ano de Publicação: 2011
URI: http://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/handle/doc/908169
Aparece nas Coleções:Circular Técnica (CNPMA)
Arquivo Descrição TamanhoFormatoVisualizar
circular21.pdf1,47 MBAdobe PDFThumbnail
Download

Formato Dublin Core

Estatísticas