DSpace

Infoteca-e » Embrapa Florestas (CNPF) » Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento (CNPF) »

Por favor, utilize esse identificador para citar ou referenciar esse registro:
http://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/handle/doc/315215

FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut

Formato RegistroConteúdo
Unidade da Embrapa/Coleção: Embrapa Florestas - Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento (INFOTECA-E)
Identificador: 44073
Data de Envio: 19-Dez-2008
Tipo do Material: Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento (INFOTECA-E)
Autoria: DUTRA, L. F.
HANSEL, F. A.
WENDLING, I.
Informações Adicionais: Leonardo Ferreira Dutra, Embrapa Florestas; Fabrício Augusto Hansel, Embrapa Florestas; Ivar Wendling, Embrapa Florestas.
Título: Introdução ao cultivo in vitro de erva-mate (Ilex paraguariensis).
Edição: 2008
Fonte/Imprenta: Colombo: Embrapa Florestas, 2008.
Descrição Física : 1 CD-ROM
Série: (Embrapa Florestas. Boletim de pesquisa e desenvolvimento, 38).
Idioma: pt_BR
Palavras-chaves: Ilex paraguariensis
Erva mate
Cultura in vitro
Micropropagação
Contaminação
Agente antimicrobiano
Thesagro: Mate
Espécie nativa
Propagação
Conteúdo: A maioria dos trabalhos com cultivo in vitro de erva-mate tem sido limitada ao cultivo de embriões e segmentos nodais oriundos de mudas produzidas de materiais juvenis. Objetivou-se otimizar o processo de desinfestação no estabelecimento in vitro de erva-mate, testando agentes desinfestantes para o controle da ocorrência de contaminações. Segmentos nodais oriundos de minicepas de erva-mate, cultivadas no sistema semi-hidropônico em canaletão, foram desinfestados com hipoclorito de sódio (NaOCl), cloreto de mercúrio (HgCl2), SaniagriTM ou Preservative Plant Mixture (PPMTM). Épocas de coleta dos explantes e termoterapia a frio também foram testados. Após desinfestação, segmentos nodais foram inoculados em meio ¼ MS e mantidos em sala de crescimento durante 30 dias. A maioria dos tratamentos utilizados para a desinfestação dos explantes não foi efetiva, verificando-se altas taxas de oxidação e contaminações fúngica e bacteriana. Os agentes desinfestantes PPMTM e SaniAgriTM, adicionados ao meio de cultura, proporcionaram taxas de sobrevivência de 93 % e 83 %, respectivamente, entretanto, a manutenção dos explantes in vitro por tempo superior a 30 dias não foi possível. A sobrevivência dos explantes inoculados em agosto foi significativamente superior às demais e a termoterapia a frio parece ser eficiente contra a contaminação por bactéria.
Ano de Publicação: 2008
Aparece nas Coleções:Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento (CNPF)
Arquivo Descrição TamanhoFormatoVisualizar
BPD38CD.pdf127,32 KBAdobe PDFThumbnail
Download

Formato Dublin Core

Estatísticas