DSpace

Infoteca-e » Embrapa Florestas (CNPF) » Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento (CNPF) »

Por favor, utilize esse identificador para citar ou referenciar esse registro:
http://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/handle/doc/312187

FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut

Formato RegistroConteúdo
Unidade da Embrapa/Coleção: Embrapa Florestas - Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento (INFOTECA-E)
Identificador: 42626
Data de Envio: 19-Mar-2008
Tipo do Material: Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento (INFOTECA-E)
Autoria: SANTOS, Á. F. dos
TESSMANN, D. J.
MAFACIOLI, R.
VIDA, J. B.
Informações Adicionais: Álvaro Figueredo dos Santos, Embrapa Florestas; Dauri José Tessmann, Universidade Estadual de Maringá; Rudimar Mafacioli, Universidade Estadual de Maringá; João Batista Vida, Universidade Estadual de Maringá.
Título: Etiologia e controle da antracnose da pupunheira para palmito.
Edição: 2007
Fonte/Imprenta: Colombo: Embrapa Florestas, 2007.
Série: Embrapa Florestas. Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento, 32).
Idioma: pt_BR
Notas: 1 CD-ROM.
Palavras-chaves: Pupunheira
Bactris gasipaes
Antracnose
Fitopatógeno
Palmiteiro
Thesagro: Espécie nativa
Conteúdo: A antracnose é a principal doença da pupunheira (Bactris gasipaes) no Centro Sul do Brasil, causando necrose em folhas de mudas, em viveiros, e em plantios com até 8 meses. Considerando-se a escassez de informações sobre este patossistema procurou-se, neste trabalho, caracterizar a variabilidade fenotípica de isolados de Colletotrichum sp. associados com antracnose procedentes de diferentes regiões produtoras de pupunha do Brasil, com base em caracteres fenotípicos, além de desenvolver estratégias de controle da antracnose (químico e biológico). Os isolados foram obtidos de folhas da pupunheira com sintomas típicos de antracnose procedentes de várias regiões do Brasil. Os 17 isolados de Colletotrichum sp. de pupunheira avaliados neste estudo foram enquadrados como Colletotrichum gloesporioides (Glomerella cingulata). Apenas um isolado desenvolveu a fase perfeita, G. cingulata. Os isolados de C. gloeosporiodes apresentaram a maior taxa de crescimento micelial a 30°C, enquanto que a esporulação foi menos influenciada pela temperatura. Todos os isolados foram patogênicos à pupunheira, observando-se diferenças significativas de agressividade entre os isolados. O método de folha destacada mostrou-se adequado para testes de patogenicidade ou de agressividade. A escala de notas desenvolvida mostrou-se adequada para avaliação de agressividade de isolados. Verificou-se que isolados de bactérias inibiram o crescimento micelial de C. gloeosporioides, no entanto, nos testes in vivo os resultados foram inconsistentes. Os fungicidas tiofanato metílico e a mistura de tiofanato metílico + clorotalonil foram eficientes no controle da antracnose em plantas jovens.
Ano de Publicação: 2007
Aparece nas Coleções:Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento (CNPF)
Arquivo Descrição TamanhoFormatoVisualizar
BPD32CD.pdf200,35 KBAdobe PDFThumbnail
Download

Formato Dublin Core

Estatísticas